signos-aprender-astrologia-autoconhecimento-

Os Signos

Os signos sempre mantiveram um status de fascínio por todos. Em um mundo passado, como poderíamos explicar as diferentes personalidades, habilidades, defeitos, características de cada pessoa?

Foi em busca de respostas que nasceu a Astrologia, que como vimos neste post não teve uma única origem.

Parece que os seres humanos e a humanidade decidiram em telepatia criar um sistema baseado nos astros, que é uma parte do que se preocupa a Astrologia.

Os signos astrológicos foram uma resposta em cheio para explicar características que, hoje, tratamos como da psicologia.

Mas ainda o conhecimento astrológico é vivo!

Faz-nos pertencer a um grupo de visão cosmológica.

Portanto, a Astrologia faz uso dos signos, entre outras coisas, para explicações que são hoje da psicologia, de um ponto de vista muito mais amplo e profundo, conectando os corpos celestes, o universo ao que somos subjetivamente no dia a dia.

Os signos, mais do que explicações da personalidade, são “colorações” aos chamados agentes na astrologia,  os planetas. Eles são o “como” na equação astrológica.

Todos têm um signo (além dos outros 11 signos distribuídos no mapa astrológico), quer queira, quer não.

Iremos conhecer um pouquinho mais, não só das características dos doze signos, porém analisar sua constituição e porque eles são como são. Venha conosco!

De onde vieram os signos?

Essa pergunta, de “onde vieram”?, parece que assusta, mas a explicação para os signos não deverá assustar muito.

O zodíaco é um plano, uma cinta imaginária que foi criada pelos antigos para delimitar o espaço dos céus e assim, facilitar a localização de planetas ou corpos celestes no espaço.

A zona zodiacal foi delimitada também pela órbita do sol. Assim, durante a noite se observavam as constelações na zona que se foram demarcadas durante o dia (pelo movimento do sol) e dividiu-se a zona em doze partes. Cada uma contendo uma constelação que representa um signo. 

Os signos não são as constelações, ledo engano do pessoal ainda não acostumado com a Astrologia, mas sim, representam características específicas que correspondem à zona da sua constelação.

Quando criamos o mapa astral, os signos aparecem estáticos, cada um na sua casinha. Mas o movimento da mecânica celeste (pode soar contraditório..) é dinâmico, se movimenta ! Assim, também, no mapa, os planetas movimentam. Aliás, até tem uns mais saidinhos como, por exemplo, a lua; você sabia que a lua muda de signo a cada dois dias?

Então, não tem muito segredo. Os signos são essas divisões, locais, campos e que estão numa constelação que está no plano zodiacal. 

O que os signos possuem?

Basicamente, os signos são constituídos por elementos, qualidades e polaridades.

Claro que os signos não são só isso! Mas é uma forma de aqui representá-los.

Vamos focar mais nas explicações astrológicas dos elementos e qualidades.

Contudo, é importante sabermos que todo signo tem um polo (o que geralmente é chamado de “oposto complementar” na astrologia moderna). Ele pode ser positivo, representado pela figura masculina e de outro lado negativo, representado pela figura feminina.    

A polaridade de um signo expressa características da personalidade de quem é daquele signo. 

Porém, isso não quer dizer que as características do signo solar da pessoa predominam na sua personalidade, como vemos sendo muito propagado erroneamente por aí.

É importante lembrar que são 12 signos, e que cada pessoa tem um conjunto de características mais ou menos expressivas, a depender do contexto do seu mapa astrológico (mapa astral, mapa natal).

Dito isto, o pólo feminino costuma ter características mais introspectivas e o masculino mais expansivas. Mas outros pontos são importantes nesta análise, como veremos a seguir.

Agora passaremos às maravilhas dos elementos e qualidades! Vamos nessa?

Elementos e Qualidades

Os elementos  da natureza nós já conhecemos e estão presentes de maneira mais latente no cotidiano: o fogo, a  terra, o ar e a água.

As qualidades, talvez não reconheçamos tão claramente no cotidiano, porém elas são três: cardinal, fixa e mutável.

Estes são elementos e qualidades estruturantes do comportamento e temperamento humano (a psicologia se utiliza desses conceitos, entre outros, para entender melhor a psique). 

Cada signo possui, sem exceção, um elemento e uma qualidade. Como já vimos, os elementos são quatro e as qualidades são três.

O que ocorre, aqui, é uma divisão entre os signos. Têm-se unidos pelo Fogo, Terra, Ar e Água. Por outro lado, têm-se unidos pela tríade Cardinal, Fixa e Mutável. Não é uma belezinha?

Assim, temos uma organização e uma estrutura, que vai se apresentando e mostrando que a astrologia vai para muito além dos memes e clichês reproduzidos aos montes.

 

Acredito que já tenhamos uma base para seguir em frente e convido você a pegar essa parte mais teórica abaixo.

Com ela você mesmo fará a “montagem” inicial da compreensão do seu signo solar (e por que não o lunar?) e de seus amigos e familiares.

Como sempre, é com a prática que aprendemos! “Bora” por em prática, então?

Divisão dos Signos

Porquanto, abaixo veremos melhor essa divisão já nos signos. Assim tomaremos posse deste conhecimento. Muitos agora, talvez estejam se perguntando. “Ok, se agora conheço elementos, qualidades e polaridades, pronto! Já sei tudo de todos os signos”.

Não, ledo engano! Os signos se relacionam com os planetas.

E, também, existe uma série de outras questões que não entraremos no mérito aqui, porém, caso você queira seguir neste caminho fascinante, temos disponível aqui um guia para te auxiliar nesta jornada!

Abaixo segue o quadro com todos os signos astrológicos, com seus elementos (na vertical) e qualidades (na horizontal).

 

 FOGOARTERRAÁGUA
CARDINALÁRIESLIBRACAPRICÓRNIOCÂNCER
FIXOLEÃOAQUÁRIOTOUROESCORPIÃO
MUTÁVELSAGITÁRIOGÊMEOSVIRGEMPEIXES

 

Começando pelas qualidades que estão ligadas ao comportamento, temos:

  • Os Cardinais representam inícios. Inventividade, motivação, tendo com principal característica a iniciativa e boa conexão com o momento presente. Porém podem expressar alguns pontos desafiadores que elencamos em: egocêntricismo, impulsividade, imprudentes.  

  • Os Fixos estão associados à estrutura, à manutenção. O estabelecer do que já foi iniciado (pelos cardinais), a persistência e, geralmente, resiliência. Representa geralmente  solidez e segurança; com boa capacidade de concentração e memória joinha! Já como desafios que podem apresentar como características: teimosia, resistência ao novo, intolerância, orgulho, rancor.

  • Os Mutáveis apresentam adaptabilidade como ponto marcante, ou seja, versatilidade. A flexibilidade para a mudança, alterando aquilo que precisa ser alterado depois da estrutura estabelecida (fixos) para o surgimento de algo novo (cardinais). Lembrando que esses conceitos são baseados na natureza, a qual é cíclica. Portanto, nada é permanente. Como elementos desafiadores que podem apresentar as características: superficialidade, indecisão, inquietação, irritação, crítica em excesso, utopia. 

Agora passaremos aos amigos do dia a dia, os elementos!

Os 4 Elementos dos Signos

Os elementos não são diferentes, se referem, entre outros pontos, à estrutura da personalidade da pessoa e, também, mais fortemente com seu temperamento! Vejamos as principais características dos quatro elementos onde, como já vimos acima, cada um representa três signos.

  • O Fogo está ligado à ação. Traz a expressividade, expansividade (dizemos que seu movimento é “para fora”).  Tendência ao passional, paixão, espontaneidade, autossuficiente.  A energia se mal empregada pode levar a impulsividade, irritabilidade, tendência egoísta, inquietação.

  • A Terra está ligada à percepção, à matéria. Assim podemos atribuir aos signos que pertencem a capacidade de percepção e a ser práticos, realistas, conservadores, prudentes. Sua palavra chave, digamos, pode ser definida como realização. A energia se mal empregada pode levar a avareza, apego excessivo aos bens materiais, utilitarismo, teimosia, crítica.

  • O elemento Ar está associado ao pensamento, comunicação. Por isso, apresenta geralmente  boa capacidade de comunicação e raciocínio lógico.  A energia se for mal empregada pode levar à superficialidade, ao autoritarismo, subjetividade, abstracionismo.

  • E por fim, o elemento Água. Este está associado à emoção. Por isto, esse elemento tem grande conexão com a intuição e sensibilidade. Contudo, podem apresentar também variações de humor e grande influência do ambiente externo. A energia se mal empregada gera à autopiedade, indecisão, excesso de sentimento, vitimismo, extremos de sentimentos bons ou ruins, carência e o famoso “sair pela tangente”.

Os signos são apenas a “ponta” do iceberg

 

Nossa intenção neste artigo é de mostrar de maneira simples como os signos vão muito além de: todo ariano é impulsivo, todo canceriano é chorão, todo sagitariano é nômade, todo libriano é indeciso, e por aí vai a lista de afirmações que vemos por aí sobre os signos, como se os mesmos fossem “pessoas”. Não, eles não são (como você viu por aqui).

Além do mais, na astrologia levada à sério, existe uma fundamentação para todo o pensamento astrológico, a qual tem muito mais informações do que cabe em um artigo. 

O que você viu aqui não representa nem 1% do iceberg. Por isso, caso você queira se aprofundar no conhecimento, temos duas sugestões pra você:

  1. Elaboramos um guia com um passo a passo pra você estudar astrologia. Por que? Por que existe uma “ordem” que facilita o aprendizado. Confira aqui!
  2. Abaixo segue opções de livros que sugerimos, os quais são bem completos (principalmente os da linha da astrologia tradicional). Vamos deixar indicações por linha astrológica (tradicional / moderna). Eu tenhos os livros das duas linhas, estudei as duas linhas (inclusive fiz cursos) e por isso me sinto segura em indicar essas publicações, embora hoje eu me identifique mais com a linha tradicional (clássica).

Astrologia Tradicional:

 

Escrito por dois grandes astrólogos da atualidade, esse livro é um excelente investimento por ter toda a base da fundamentação do pensamento astrológico.

Por ter a estrutura de um curso, facilita muito o processo de aprendizagem.

Outro exemplar muito completo, dos mesmos autores do livro indicado acima (Curso de Astrologia Tradicional).

O Tratado das Esferas se propõe a ser um guia prático para os estudantes e astrólogos que desejam aprender com profundidade a base astrológica. Porém, não se engane achando que a base é por si só pouco conteúdo. Muito pelo contrário.

Aqui temos um exemplar que de “básico” ou pouco conteúdo nada tem!

Astrologia Moderna:

Grande expoente da astrologia no Brasil, a autora Anna Maria Costa Ribeiro apresenta neste livro uma linguagem muito acessível e ampla, compartilhando toda sua vasta experiência como astróloga e professora de astrologia.

Essa também é uma excelente opção para quem deseja estudar pela via da astrologia contemporânea. A autora é astróloga e desenvolveu esse best-seller baseado também em suas experiências como astróloga e professora. 

Conceituada no Brasil, Claudia Lisboa apresenta em “os astros sempre nos acompanham” um livro cheio de conceitos de maneira simples, podendo ser utilizado assim como manual tanto para profissionais quanto para entusiastas no estudo astrológico.

O que vem a seguir

 

Apresentamos ao final deste artigo algumas opções de aprofundamento no tema astrologia, que vai muito além de signos.

Não pretendemos determinar receitas, até por que no tema astrologia, o que se tem é um caminho inteiro disponível à frente para ser desbravado.

Esperamos que esse artigo tenha te auxiliado a abrir sua mente e visão sobre as inúmeras possibilidades no tema e que prossiga se aventurando neste mundo tão fascinante proposto pela astrologia!

Nos vemos nos próximos artigos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress
Rolar para cima

Reserve já a sua consultoria gratuita

Preencha o formulário abaixo para agendar uma sessão de consultoria online de desenvolvimento pessoal sem compromisso de 30 minutos.

Responderei dentro de 48 horas.